Um Buda de bermuda

Que ideia mais absurda
Um Buda de bermuda
Letra muda
Que tanto diz
Palhaço aprendiz
Que adora meretriz
Que nada fala
Às vezes é um mala
Que não entende a cabala
Persegue o abstrato
É um poeta inato
Que adora andar no mato
E curte um barato
É artista
Malabarista e equilibrista
Que nunca para na pista
– Rodrigo Giovani Borchardt –
– Do livro Céu sem Véu –

Livro Impresso ou em PDF: Clique aqui

Ventos malvados

São loucos estes ventos
Que sacodem meu coração
Como podem ser tão cruéis
E tão frios?
Pelos dias sombrios se passa
No meio da massa e do caos
No lago profundo da solidão
Dentro de um mundo vão
Cercado por pessoas inteligentes
E envolventes
Gente que sabe
Gente que vê
Os ventos também se movem
No meio dessas pessoas
Pessoas que cantam
E observam o vento
Ar em movimento
Cumprimento o vento
Pois também sou pessoa
Comprimento de uma onda
Onda do mar
Do rádio
Ou do rio
Que também tem água
Assim como ar
Que também tem onda
Ventos balançam nuvens
E nuvens cobrem o céu
No céu o sol aparece
E ilumina o horizonte
Ondas caminhantes
Onde moram os ventos
Que não são de amanhã
Nem de ontem
– Rodrigo Giovani Borchardt –
– Do livro Egocídio –

Livro Impresso ou em PDF: Clique aqui

Tarde

Namastê querido irmão, irmã, leitor, leitora. Como andam as coisas? Nestas andanças da vida, muita coisa pode estar acontecendo. Eu mesmo já realizei nestes dias um desejo muito profundo. Mais desejos estão nascendo, pois não há limites para desejar. E não há limites para realizar.
Agora vamos praticar a ociosidade de maneira mais focada, sem focar. Complicado? Eu vou simplificar. Simplesmente deite-se ou sente-se de pernas cruzadas. Se está um pouco claro, apague a luz. Você pode e deve fazer esta meditação a noite antes de dormir também. Ela só demora 15 minutos. Sente-se ou deite-se em posição confortável, feche os olhos e faça algumas respirações profundas, como no dia anterior. Depois de 5 minutos aproximadamente, esqueça as respirações, esqueça de tudo. Se aparecer um pensamento, desapegue-se dele, não tenha aversão a ele, tão pouco apego. Fique 10 minutos em posição confortável, pois depois dos exercícios de respiração, no final dos 10 minutos você já estará em meditação.
Daí em diante, você pode aumentar nos próximos dias, semanas, meses, o tempo de duração. Uma meditação de 1 hora bem feita pode produzir milagres. Você pode acender um incenso, e quando ele acabar, pode finalizar a meditação. Ou pode ficar mais tempo aproveitando o seu aroma, até 1 ou duas horas de meditação. Mas não se preocupe agora com isso, tudo vai fluir naturalmente. Não coloque metas que não sejam divertidas e fáceis de fazer.
– Rodrigo Giovani Borchardt –
– Do livro Sete dia para viver em Unidade –

Livro Impresso ou em PDF: Clique aqui

A Reconciliação com a Família

Vamos considerar primeiro a Família Universal. Todos são da nossa família, nos isolamos em grupos convenientes apenas para satisfazer nosso Ego. Mas não podemos julgar esta situação, porque as coisas simplesmente são assim. Quem muda, quem enxerga todos como Família Universal é o indivíduo, esta mudança de percepção deve vir dele.
Tudo começa pela família, foi onde nascemos e onde aprendemos nossas primeiras lições. As pessoas da nossa família, são nossos primeiros Mestres. Por isso a importância, depois de reconciliar-se consigo mesmo, procurar harmonia onde se vive. Mesmo se não convivem juntos, a reconciliação Familiar é a base para entrar no fluxo.
Por quê? Por que nascemos em nossas famílias para aprender as primeiras lições de nossa jornada, certamente não foi por acaso que nascemos na família x, pois esta tem para oferecer um leque de aprendizados. Há uma hierarquia, e nossas famílias estão dentro desta hierarquia, então devemos saber quando é hora de fugir do ninho e voar.
Mas seria importante mantermos contato com nossas famílias quando possível, se não moramos com os mesmos. Pois estes tem a chave para vivermos em Unidade. Oras, se não é por acaso que nascemos na família x, estes devem ter como revelar nossas missões espirituais, dentro deste Universo Infinito. Além de tudo isso, pense como será harmonioso manter a paz com a família, pois foram eles que nos trouxeram até aqui.
Muito mais que manter a paz, a reconciliação com a família é um segredo guardado a sete chaves, que se for muito bem meditado, trará sincronicidades, bem aventurança, alegria, paz e imortalidade aos nossos corações. A harmonia com a família não é só uma forma de gratidão aos nossos entes queridos, é uma forma de trazer a paz para todas as áreas de nossa vida.
Segundo a Constelação Familiar, método psicoterapêutico recente desenvolvido por Bert Hellinger, propõe uma consciência de clã (por ele também chamada de “alma” – no sentido de algo que dá movimento, que “anima”), que se norteia por “ordens” arcaicas simples, que ele denominou de “ordens do amor”, e demostrou como a forma como essa consciência nos enreda inconscientemente na repetição do destino de outros membros do grupo familiar.
Estas ordens do amor referem-se a três princípios norteadores:
1 – A necessidade de pertencer ao grupo ou clã.
2 – A necessidade do equilíbrio entre o dar e receber nos relacionamentos.
3 – A necessidade de hierarquia dentro do grupo ou clã.
As ordens do Amor são forças dinâmicas e articuladas que atuam em nossas famílias ou relacionamentos íntimos. Percebemos a desordem destas forças sob a forma de sofrimento ou doença. Em contrapartida, percebemos seu fluxo harmonioso como uma sensação de estar bem no mundo.
No livro Sete dias para Viver em Unidade expliquei como as sincronicidades podem acontecer, e agora digo que as Reconciliações com todas as áreas da nossa vida podem promover sincronicidades ainda mais milagrosas. Exemplo, agora mesmo, estou escrevendo sobre a reconciliação com a família, e acreditem se quiser, um programa de televisão que meus pais estão assistindo agora, com o apresentador com o mesmo nome que eu, relata a reconciliação de uma família. Coincidência? Realmente as pedras estão rolando, já são bolas de neve, cada vez maiores.
Nas mesmas condições que a reconciliação conosco, temos que aprender a perdoar nossos familiares. Podemos observar suas atitudes, e na simplicidade de uma criança, encarar suas mazelas e erros como uma brincadeira, um teste, um teatro, pois nunca sabemos suas reais intenções.
E se nossos familiares estivessem testando nossas fragilidades? E se pudéssemos encarar estes testes como desafios que promovem amor, união, carinho, perdão e paz? Vamos refletir sobre isso. Nada acontece por acaso. Há doutrinas espirituais que dizem que escolhemos nascer em nossas famílias, sobre isso, não tenho como provar pois nem mesmo sei se isso realmente acontece de fato, mas há uma desconfiança no ar, que existe uma predestinação.
Predestinação com certeza há, mas como saberemos como se interliga esta teia mágica de relacionamentos? Aprendendo a observar os sinais do Universo. O sinal pode aparecer também como uma intuição, que lhe diz como agir com seus familiares. Por isso a importância de saber ouvir, falar com doçura e sabedoria, ter momentos de recolhimento e meditação, para ter um ambiente agradável e harmonioso com quem estamos morando, sejam estes nossos familiares ou não.
Apesar da predestinação, há um toque de nosso livre arbítrio, que organiza nossas vidas com ações e feedbacks do Universo, sejam nossos familiares, amigos, desconhecidos, ou seja, tudo que há, pois como afirmamos através de constatações, nada está separado. Você já constatou?
Outra sincronicidade: hoje para este que escreve é dia dos pais, e vejo uma obra de arte de uma amiga falando sobre constelação familiar, agora mesmo, no facebook. Semana passada também uma amiga me convidou para um evento de constelação familiar, então, a questão da família está muito bem clara na minha vida, vejo que as coisas estão se encaminhando para o mais puro amor de se viver uma vida em Unidade.
Já tive muitos problemas de relacionamento com minha família, e às vezes ainda tenho. Por isso, caro leitor, saiba que não sou perfeito, por estar escrevendo estas palavras. Escrevo palavras sinceras e humildes, mas na medida que vou escrevendo e refletindo, tudo ao meu redor está mudando. Já consegui um fluxo de fluidez tão grande, que só posso agradecer. Minha intuição está bem mais afiada. Minhas atitudes estão cada vez mais sábias, depois de praticar os rituais e exercícios do livro Sete Dias para Viver em Unidade, realmente minha vida mudou da água para o vinho.
Vamos falar da dádiva das conquistas. Todas nossas conquistas são resultados de nossos relacionamentos com a família, porque é daí que surgiram nossas primeiras conquistas. Tal como o chumbo se transforma em ouro, tal como o lapidar da pedra, estamos constantemente nos autotransformando através de nossas escolhas e aprendizados.
Quando falamos em conquistas, a família é uma grande escola, porque cada teste nos proporciona habilidade, nos faz reerguer através dos tropeços cada vez mais confiantes, resilientes, resignados, amorosos e cheios de autoestima. Vamos plantar um pomar? Para que este pomar dê frutos perfumados e saborosos, temos que cuidar bem da terra e regar nossas plantinhas. Amar nossos irmãos, nossos pais, filhos, avós e todos que sempre estão a nossa volta, considerando seus pontos de vista com doçura, perdão e gratidão.
De agora em diante, quero propor um exercício, que também aplico. Faça o seguinte, de agora em diante: Não julgue nem critique seus entes queridos e familiares, também não se justifique em demasia nem se defenda quando tiver razão. Quando não tiver razão, o silêncio é ainda mais solicitado pela força do Universo. Depois de aplicar este exercício diariamente, com doçura, amor e carinho, veja a mágica e as sincronicidades acontecendo em abundância, abrindo um portal para Infinitas possibilidades. Mas não pare por aí, continue fazendo este exercício para sempre, com as pessoas de todas as áreas de sua vida. O amor está no ar, ele sempre vence…
Fazendo tudo isso, nossas jornadas se transformarão e entrarão no mais profundo fluxo de amor, sincronicidades, telepatia e amor em Unidade. Que nossas famílias sejam abençoadas, e que tudo revele sua mais linda forma de se desenrolar em nossos corações.
– Rodrigo Giovani Borchardt –
– Do livro Magia da Reconcliação –

Livro Impresso ou em PDF: Clique aqui

Amigo

Que bom estar contigo
Meu amigo
Fique sempre comigo
De coração
É minha irmã, meu irmão
Em profunda comunhão
Na mais perfeita gratidão
Na imensidão de todos os Universos
É para você que escrevo estes versos
Com alegria
Magia e simpatia
É a Lei da Sincronicidade
Que me trouxe esta amizade
Foi a telepatia
A fraternidade
É minha felicidade
Quanta nostalgia eu sentia
Que me afastava da harmonia
Hoje me aceito
Como perfeito
É belo
Foi-se o flagelo
Sinto-me reconhecido
Querido
Nutrido
Feliz de amor
Sem tanto labor
É aí que está toda cor
Amiga, amigo
É feliz que prossigo
Para sempre contigo
– Rodrigo Giovani Borchardt –
– Do livro Despertar na Poesia –

Livro Impresso ou em PDF: Clique aqui